quarta-feira, 1 de junho de 2011

Mineirinho cai na estreia, e Jadson André tem bom retorno a Imbituba


Após vencer Kelly Slater na final da etapa brasileira do Circuito Mundial no ano passado, potiguar vence bateria na estreia do WQS seis estrelas prime

Por GLOBOESPORTE.COMImbituba, SC
As boas ondas da Praia da Vila eram o cenário perfeito para o início do WQS seis estrelas prime de Imbituba, Santa Catarina. Não para todos. Enquanto o australiano Yadin Nicol foi o grande destaque do dia, com a primeira nota 10 do campeonato, Adriano de Souza, o Mineirinho, líder do ranking mundial, repetiu o mau desempenho em Saquarema e foi eliminado logo na estreia, assim como o também top Heitor Alves.
jadson andre surfe (Foto: Daniel Smorigo/ ASP)Jadson André arrisca uma manobra no WQS de Imbituba (Foto: Daniel Smorigo/ ASP)
De volta ao palco onde conquistou sua vitória na etapa brasileira do WT no ano passado, Jadson André não fez feio. Venceu sua bateria e garantiu lugar na segunda rodada. O potiguar liquidou seus adversários logo nas duas primeiras. Com as notas 8,17 e 7,67 em duas esquerdas muito longas, derrotou dois surfistas da Austrália, Adam Robertson e Heath Joske, além do paulista Odirlei Coutinho.
yadin nicol surfe (Foto: Daniel Smorigo/ ASP)Yadin Nicol levou o primeiro 10 em Santa Catarina
(Foto: Daniel Smorigo/ ASP)
- Esse lugar é especial pra mim. Nunca vou esquecer daquele dia. Era meu primeiro ano no ASP Tour e logo no terceiro evento consegui ganhar uma etapa contra Kelly Slater na final. Essa tinha sido minha última bateria aqui, agora entrei na primeira bateria do campeonato e estou super feliz por ter vencido. O mar não está fácil, correnteza forte e não tivemos a ajuda do jetski hoje. Acho que eu saí do mar umas quatro vezes lá no meio da praia e vim correndo pro canal pra entrar de novo, mas valeu porque consegui passar bem a bateria - afirmou Jadson.
Vice-campeão no WQS de Saquarema, Raoni Monteiro chegou a Imbituba cansado, mas conseguiu um lugar na segunda fase ao passar em segundo em sua bateria de estreia.
- Foi correria. Ontem (segunda-feira) o mar estava grandão lá em Saquarema, difícil pra caramba, tirou todas as minhas energias, cheguei aqui 3 horas da manhã, direto do aeroporto para o hotel, nem jantei e estou me sentindo bem cansado. Eu só dormi 4 horas e já vim pra praia, meio tonto ainda, sem forças, tanto que eu nem consegui surfar direito. Ainda bem que a bateria foi fraca, minha maior nota foi 5 e pouco, mas consegui passar e é isso que importa.
Nesta terça-feira, foram realizadas 16 das 24 baterias da primeira fase. Às 7h30m desta quarta-feira, a organização fará a chamada para as baterias restantes. A programação ainda prevê a realização de oito baterias da segunda fase.
Confira a classificação das baterias
PRIMEIRA FASE:
01: 1-Jadson André (BRA), 2-Adam Robertson (AUS), 3-Heath Joske (AUS), 4-Odirlei Coutinho (BRA)
02: 1-Jessé Mendes (BRA), 2-Yuri Sodré (BRA), 3-Glenn Hall (IRL), 4-Messias Felix (BRA)
03: 1-Rodrigo Dornelles (BRA), 2-Nic Muscroft (AUS), 3-Brandon Jackson (AFR), 4-Tanner Gudauskas (EUA)
04: 1-Mason Ho (HAV), 2-Raoni Monteiro (BRA), 3-Kolohe Andino (EUA), 4-Caio Ibelli (BRA)
05: 1-Julian Wilson (AUS), 2-Hizunomê Bettero (BRA), 3-Dale Staples (AFR), 4-Pablo Paulino (BRA)
06: 1-Aritz Aranburu (ESP), 2-Travis Logie (AFR), 3-Eric Geiselman (EUA), 4-Alain Riou (TAH)
07: 1-Tom Whitaker (AUS), 2-Ben Dunn (AUS), 3-Jean da Silva (BRA), 4-Charlie Brown (BRA)
08: 1-João Abreu (BRA), 2-Bernardo Pigmeu (BRA), 3-Hodei Collazo (ESP), 4-Heitor Alves (BRA)
09: 1-Nathan Yeomans (EUA), 2-Paulo Moura (BRA), 3-Joan Duru (FRA), 4-Willian Cardoso (BRA)
10: 1-Wiggolly Dantas (BRA), 2-Granger Larsen (HAV), 3-Robson Santos (BRA), 4-Jihad Khodr (BRA)
11: 1-Gabe Kling (EUA), 2-Ricardo Santos (BRA), 3-Marc Lacomare (FRA), 4-Chris Waring (EUA)
12: 1-Lincoln Taylor (AUS), 2-Flavio Nakagima (BRA), 3-Shaun Joubert (AFR), 4-Adriano de Souza (BRA)
13: 1-Damien Hobgood (EUA), 2-Austin Ware (EUA), 3-Ian Gouveia (BRA), 4-John John Florence (HAV)
14: 1-Nat Young (EUA), 2-Maxime Huscenot (FRA), 3-Simão Romão (BRA), 4-Tim Boal (FRA)
15: 1-Yadin Nicol (AUS), 2-Royden Bryson (AFR), 3-Gony Zubizareta (ESP), 4-David do Carmo (BRA)
16: 1-Kiron Jabour (HAV), 2-Leandro Bastos (BRA), 3-Caetano Vargas (BRA), 4-Tonino Benson (HAV)
Baterias que vão abrir a quarta-feira:
17: Patrick Gudauskas (EUA), Leonardo Neves (BRA), Stu Kennedy (AUS), Jack Freestone (AUS)
18: Gabriel Medina (BRA), Junior Faria (BRA), Jano Belo (BRA), Tomas Hermes (BRA)
19: Dion Atkinson (AUS), Masatoshi Ohno (JAP), Dylan Graves (PRI), Gustavo Fernandes (BRA)
20: Luel Felipe (BRA), Shaun Cansdell (AUS), Pedro Henrique (BRA), Fabio Carvalho (BRA)
21: Miguel Pupo (BRA), Thiago Camarão (BRA), Neco Padaratz (BRA), Marco Polo (BRA)
22: Cory Lopez (EUA), Kai Barger (HAV), Jeronimo Vargas (BRA), Romain Cloitre (FRA)
23: Billy Stairmand (NZL), Richard Christie (NZL), Davey Cathels (AUS), Chris Ward (EUA)
24: Matt Wilkinson (AUS), Jay Quinn (NZL), Blake Thornton (AUS), Tanio Barreto (BRA)
SEGUNDA FASE
01: Jadson André (BRA), Raoni Monteiro (BRA), Jessé Mendes (BRA), Nic Muscroft (AUS)
02: Adam Robertson (AUS), Mason Ho (HAV), Yuri Sodré (BRA), Rodrigo Dornelles (BRA)
03: Julian Wilson (AUS), Ben Dunn (AUS), Aritz Aranburu (ESP), Bernardo Pigmeu (BRA)
04: Travis Logie (AFR), Tom Whitaker (AUS), Hizunomê Bettero (BRA), João Abreu (BRA)
05: Nathan Yeomans (EUA), Wiggolly Dantas (BRA), Ricardo Santos (BRA), Flavio Nakagima (BRA)
06: Gabe Kling (EUA), Granger Larsen (HAV), Lincoln Taylor (AUS), Paulo Moura (BRA)
07: Damien Hobgood (EUA), Nat Young (EUA), Royden Bryson (AFR), Leandro Bastos (BRA)
08: Yadin Nicol (AUS), Austin Ware (EUA), Maxime Huscenot (FRA), Kiron Jabour (HAV)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Resultados da autópsia no corpo de Andy Irons são adiados mais uma vez


Novo pedido da família do surfista adia em 30 dias a divulgação

Por GLOBOESPORTE.COMKauai, Havaí
Os resultados da autópsia no corpo do havaiano Andy Irons, morto em novembro, foram adiados novamente. A informação é da rede de TV havaiana KHON2. De acordo com a reportagem, a família pediu mais 30 dias, a contar desta quinta-feira. Em dezembro, a viúva, Lyndie Irons, conseguiu um adiamento para o dia 20 de maio. Ela alegava que a imprensa estava sendo agressiva e tentando manchar a imagem de seu marido.
O tricampeão mundial (2002 a 2004) foi encontrado morto no dia 2 de novembro, em um quarto de hotel em Dallas. No dia 31 de outubro, ele deixou Porto Rico - onde, doente, desistiu da etapa do Mundial -, depois de contar à família que estava com febre de dengue. Foi analisado por um médico, que o recomendou a ir a um hospital, mas o surfista decidiu voltar para o Havaí.
Antes de chegar a Dallas, fez uma conexão em Miami e, segundo relatos da revista “Go Outside”, para não perder o voo rumo a Honolulu, virou a noite em uma festa.
No primeiro pedido de adiamento, Lyndie argumentava que ela e o bebê são dependentes financeiramente da imagem do surfista.
- Pelo fato de ele ser uma celebridade, muitos veículos de imprensa estão sugerindo que a morte dele tenha sido provocada pelo uso de drogas. A imprensa está sendo tão agressiva na cobertura que tem ligado repetitivamente para ela e para a família e até acamparam em frente à casa da Lyndie, causando transtorno a ela e ao bebê – dizia o primeiro pedido da família, em dezembro.

quinta-feira, 12 de maio de 2011

WT Rio Pro 2011 - Suelen Naraisa representa o Brasil

 Rio Pro 2011 - Suelen Naraisa representa o Brasil

A paulistana Suelen Naraisa disputa o WT Rio Pro 2011
Foto Ilustrativa: Globoesporte
A atual bicampeã brasileira de surf feminino, a ubatubense Suelen Naraisa irá disputar WT Rio Pro 2011, válida como a quinta etapa do Circuito Mundial de Surf Feminino 2011, que acontece nas praias da Barra e do Arpoador, no Rio de Janeiro, aqui no Brasil.

Essa é a primeira vez que Suelen participa de uma prova do World Tour Feminino, WT Feminino.

A surfista daqui do estado de São Paulo irá participar da etapa brasileira do WT Feminino como convidada, mas mesmo assim Suelen está muito empolgada em enfrentar a elite do surf feminino mundial.

Boa sorte Suelen!

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Parko leva a taça em Bells

Parkinson fatura taça em final com altas ondas. Foto: © ASP/ Robertson
Circuito Mundial ASP - Austrália
Uma decisão entre dois ícones do surfe australiano fechou a edição dos 50 anos de história do Rip Curl Pro na Austrália. Nas ondas excelentes de 6-8 pés do domingo em Bells Beach, Joel Parkinson, 30 anos, confirmou o título com uma nota 10 na final contra o bicampeão mundial Mick Fanning, 29. Com a vitória, Parko assumiu a vice-liderança no ranking do ASP World Title Race 2011.
Parko voltou com nota 10 na final. Foto: Kristin
O atual líder, Kelly Slater, foi derrotado nas quartas de final pelo brasileiro Adriano de Souza, mas Mineirinho não resistiu à impecável apresentação do campeão Joel Parkinson nas semifinais. Com o terceiro lugar obtido no Rip Curl Pro Bells Beach, o brasileiro passou a dividir a quarta posição no ranking com o português Tiago Pires. O próximo desafio do ASP Dream Tour 2011 será o Billabong Pro Rio no Brasil, de 11 a 22 de maio na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.
Na Austrália, uma multidão lotou Bells Beach no último dia do Rip Curl Pro. Joel Parkinson abriu a final com uma nota 8,53 e confirmou a vitória com uma onda perfeita que arrancou nota 10 dos juízes. A vitória valeu 75.000 dólares e 10.000 pontos, com o vice-campeão Mick Fanning ficando com 30.000 dólares e 8.000 pontos.
“Para mim, o Mick (Fanning) foi o melhor surfista do campeonato e eu não podia errar contra ele”, disse Joel Parkinson. “Acho que tivemos a mesma tática de tentar começar bem a bateria e tratamos de surfar o nosso melhor demolimos logo nas primeiras ondas. Depois veio aquela nota 10 numa onda incrível para fechar definitivamente a bateria. Estou muito feliz porque não ganhei mais um evento simplesmente, mas um muito mais especial por celebrar 50 anos de história deste tradicional torneio, é inacreditável isso”.
O campeão também mencionou a qualidade das ondas surfadas no Rip Curl Pro deste ano, para ele as melhores que ele lembra ter competido em Bells Beach. Mick Fanning concorda com o amigo e vinha sendo o grande destaque do evento. Ele passou fácil pelo brasileiro Jadson André nas quartas de final e derrotou o sul-africano Jordy Smith num dos duelos mais emocionantes do dia, que foi encerrado em 18,87 x 17,23 pontos.
A outra semifinal foi mais tranqüila para Joel Parkinson, pois Adriano de Souza não conseguiu repetir a ótima atuação que apresentou contra Kelly Slater. Mineirinho venceu com todos os méritos o número 1 do mundo e defensor do título do Rip Curl Pro Bells Beach por massacrantes 18,00 x 11,24 pontos.
“Eu consegui um bom ritmo na bateria com o Kelly (Slater), mas contra o Joel (Parkinson) eu não achei as ondas”, lamentou Adriano de Souza. “Estou frustrado porque queria muito tocar o sino da vitória aqui em Bells, mas estou feliz pelo meu desempenho aqui neste ano”.

Slater foi vencido por Mineirinho
Adriano deixou Slater para atrás
Mineirinho falou mais da vitória sobre Kelly Slater: “Ele é meu herói, dez vezes campeão do mundo, mas faltou onda para ele na nossa bateria e o mesmo aconteceu comigo na semifinal. Faz parte do nosso esporte isso. Agora vamos pra casa disputar o próximo evento e espero que o Brasil esteja orgulhoso do que eu e o Jadson (André) fizemos aqui nesta etapa e compareçam em massa para torcer para os brasileiros lá no Rio de Janeiro”.



FINAL DO RIP CURL PRO BELLS BEACH:
Campeão: Joel Parkinson (AUS) com 18.53 pontos – US$ 75.000 e 10.000 pontos
Vice-campeão: Mick Fanning (AUS) com 13.26 pontos – US$ 30.000 e 8.000 pontos

SEMIFINAIS – 3.o lugar – US$ 17.500 e 6.500 pontos:
1.a: Joel Parkinson (AUS) 16.33 x 12.00 Adriano de Souza (BRA)
2.a: Mick Fanning (AUS) 18.87 x 17.23 Jordy Smith (AFR)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar – US$ 13.750 e 5.200 pontos:
1.a: Joel Parkinson (AUS) 16.66 x 13.16 Owen Wright (AUS)
2.a: Adriano de Souza (BRA) 18.00 x 11.24 Kelly Slater (EUA)
3.a: Jordy Smith (AFR) 14.16 x 11.10 Chris Davidson (AUS)
4.a: Mick Fanning (AUS) 17.46 x 14.03 Jadson André (BRA)

QUINTA FASE – REPESCAGEM – 9.o lugar - US$ 11.000 e 4.000 pontos:
1.a: Owen Wright (AUS) 14.17 x 9.26 Bede Durbidge (AUS)
2.a: Adriano de Souza (BRA) 13.97 x 13.66 C. J. Hobgood (EUA)
3.a: Chris Davidson (AUS) 16.03 x 15.37 Michel Bourez (TAH)
4.a: Jadson André (BRA) 14.37 x 13.93 Tiago Pires (PRT)

RANKING DO ASP WORLD TITLE RACE 2011 – 2 etapas:
01: Kelly Slater (EUA) – 15.200 pontos
02: Joel Parkinson (AUS) – 14.000
03: Jordy Smith (AFR) – 13.000
04: Adriano de Souza (BRA) – 10.500
04: Tiago Pires (PRT) – 10.500
06: Mick Fanning (AUS) – 9.750
07: Taj Burrow (AUS) – 8.500
08: Michel Bourez (TAH) – 8.000
09: Jadson André (BRA) – 6.950
09: Alejo Muniz (BRA) – 6.950
09: Owen Wright (AUS) – 6.950
09: Matt Wilkinson (AUS) – 6.950
13: Brett Simpson (EUA) – 5.700
13: Chris Davidson (AUS) – 5.700
13: Dusty Payne (HAV) – 5.700
---------outros brasileiros:
19: Heitor Alves (BRA) – 3.500 pontos
33: Raoni Monteiro (BRA) – 1.000

Final, semi e quartas do Rip Curl Pro Bells


Surf Vídeos-WT-Rip Curl Pro-Austrália
A etapa do Circuito Mundial de Surf em Bells, na Austrália confirmou o bom estado físico e mental do local Joel Parkinson, que venceu na final seu amigo Mick Fanning, numa bateria acirrada, com excelente desempenho de ambos. Embora Fanning tenha conseguido eficiência e boa regularidade durante o evento todo, Parko obteve o primeiro lugar com uma nota 10 na final. A direita da vitória chegou nos segundos finais da bateria, depois que Mick levantasse o bico por estar muito atrassado para o drop.
A vala entrou com força, permitindo um dos poucos tubos da jornada para Parko, e ainda rendeu belas rasgadas, que fazem parte do repertório pessoal do atleta.